domingo, janeiro 13, 2013

Filme da Semana: The Classic

"The Classic" como o mesmo nome já diz, é um clássico. Este filme é lindo em todos os aspectos, uma banda sonora invejável, uma fotografia deslumbrante de encher os olhos, personagens cativantes que deixa qualquer um de morrer de riso e um final extremamente triste e inesperado. É daqueles filmes que você ri, chora e sai da sala de cinema com um sorriso de orelha a orelha mas por outro lado ficas triste, sem saber bem o motivo. Posso dizer que foi este filme que me converteu ao cinema oriental mas precisamente ao cinema sul coreano, por isso tenho um carinho especial por este filme.

Plot: A Ji-hye (Son Ye Jin) ao arrumar a casa descobre uma caixa cheia de cartas e um caderno que pertencia a mãe. Neste caderno ficamos a conhecer a estória do grande amor da vida da mãe de Ji-hye, a Joo-hee. A Joo-hee comprometida com o Tae-soo (Lee Ki Woo) apaixona-se pelo melhor amigo deste, o Joon-há (Cho Seung woo). No presente, semelhante a mãe, a Ji-hye também tem um amor impossível já que está apaixonada pelo namorado da amiga, o Sang-min (Zo In Sung). Temos assim duas estórias de amor, da mãe e da filha, interpretada pela mesma actriz Son Ye Jin

Aqui temos o nosso casal do passado.

Ao longo do filme, o realizador (que alias é o mesmo do My Sassy Girl, Kwak Jae youngdá várias dicas do desfecho destas duas estórias mas que passarão despercebidos por grande parte da audiência (como foi o meu caso). O ponto alto do filme é descobrir a relação entre estas duas estórias de amor, sim estas duas estórias estão na verdade interligadas, mais do que isso não posso dizer. Garanto-vos que nas últimas cenas é de tirar lágrimas a qualquer pessoa que tenha coração. Não se esqueçam de ter ao lado lenços porque garanto-vos que vão precisar, e muito.

Não vou contar mais, senão corro o risco de cometer spoiler e se eu disser, garanto que será um GRANDE SPOILER. O que posso dizer é que este filme é um dos melhores e mais belo romance que já vi. O cinema sul coreano vem surpreendendo-me cada vez mais, com argumentos originais e uma sensibilidade que poucos conseguem transmitir. E este filme é um dos exemplos da fórmula que este cinema vem-nos presenteando, uma fórmula que resulta e vem cativando vários públicos, principalmente os que estão um pouco saturados com os romances hollywoodesco e querem algo de novo. Mas ao falar de hollywood não pensem que este filme entra na categoria de comédia romântica, porque está muito longe desta categoria como grande parte das obras que vem dos países do sol nascente.